Iate Clube do Espírito Santo Iate Clube do Espírito Santo

VELA

Vela

Cadastrado em 20/01/2020 às 00:00
Atualizado em 20/01/2020 às 06:50

Veleiro capixaba é campeão e faz história em Punta del Este















O barco do Iate Clube do Espírito Santo, o + Bravíssimo, conquistou o título geral do 26º Rolex Circuito Atlântico Sur, um dos eventos mais importantes da América do Sul

Superação e quebra de recordes.  Assim podemos resumir em poucas palavras o que foi o 26º Rolex Circuito Atlântico Sur 2020- Buenos Aires – Punta del Este, realizada de 12 a 18 de janeiro, para o veleiro do Iate Clube do Espírito Santo, + Bravíssimo. O barco foi campeão geral neste último sábado, 12, da competição que é considerada uma das mais importantes da América do Sul.

O veleiro capixaba, que tem Luciano Secchin no comando, foi o barco de mais longe que participou do Circuito, que contou com equipes   da Argentina, Uruguai, Brasil, Canadá , Estados Unidos, Grã-Bretanha e Itália,  e venceu a mais importante das seis regatas, o trecho entre Buenos Aires e Punta del Este, e manteve a regularidade nas demais cinco regatas disputadas no mar uruguaio ao longo do final de semana. A tripulação foi composta por mais 8 velejadores, 4 deles capixaba capixabas, um do Rio de Janeiro, um atleta do Chile e dois argentinos.

“Esperávamos ficar entre os primeiros, mas não ganhar a competição, pois sabíamos do potencial das outras equipes, principalmente os argentinos que tem muita tradição na vela oceânica. Mas, após conseguirmos ganhar a principal regata do circuito, que liga Buenos Aires a Punta del Este, depois de mais de 31 horas navegando, superação em cima de superação, vimos que tínhamos total condições de levar o título”, ressalta o comandante Luciano Secchin.

Secchin disse ainda que em 2019 os velejadores capixabas participaram da competição, mas em um barco alugado. “Ano passado competimos em um barco alugado, ficamos em sétimo de 26 barcos. Para este ano, a meta era trazer o + Bravíssimo para Buenos Aires e ir atrás de um melhor resultado. E conseguimos superar esse objetivo. Estávamos com um material humano excelente, o barco em ótimas condições, conseguimos manter uma constância nas outras cinco regatas após vencermos Buenos Aires a Punta, e o título veio. É um orgulho muito grande para nós capixabas”, completa.

Para conseguirem participar da competição, desde o começo de dezembro o veleiro navegou pelas águas brasileiras, saindo de Santos, até chegar em Buenos Aires, Argentina. “Como não conseguimos mandar o veleiro por navio, nem por caminhão devido à burocracia, decidimos que ele iria navegando. O velejador capixaba Bruno Martinelli foi quem levou o barco até Buenos Aires, foram 8 dias navegando”, conta Luciano.